sábado, 20 de outubro de 2012

Blade Runner - nova visão


BLADE RUNNER revisited >3.6 gigapixels from françois vautier on Vimeo.

Para quem é fã vale a pena conferir e para os outros vale pela visualização da mesclagem do antigo com o novo. Como sou fã de "BLADE RUNNER" e o vídeo é excelente, tenho prazer em divulgar.

Relaxe

Tirinha extraída do Jornal Folha de São Paulo

Níquel Náusea de Fernando Gonzales

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

1ª Edição do concurso latino-americano de fotografia


O Centro Latino-americano de Fotografia convida os fotógrafos amadores e profissionais, nascidos em qualquer país da América Latina, a participar da primeira edição do concurso latino-americano de fotografia.

O júri será composto por nomes importantes da fotografia, entre eles, René Burri – ex-presidente da Magnum França e autor da foto do Che Guevara fumando um cigarro-, o conhecido fotógrafo brasileiro Dado Galieri e o editor da revista Caretas, do Peru, Enrique Zileri Gibson.

O concurso terá onze categorias: meio ambiente; costumes e cultura popular; paisagens urbanas e rurais; trabalho, ciência e educação; vida cotidiana; categoria geral, de tema livre; retrato; arquitetura; fotojornalismo; esporte; natureza e vida selvagem.

O vencedor receberá 3 mil dólares, o segundo colocado 1,5 mil dólares e o terceiro, 500 dólares (todos os valores serão convertidos em equipamentos fotográficos).
As fotos podem ser enviadas no período de 1° de setembro a 30 de outubro de 2012. Para consultar o regulamento, se inscrever e enviar as fotografias, acesse o site do Centro Latino-americano de Fotografia.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Séries anos 90



11° Lugar - Baywatch (Fora do Ranking)
Biquinis, pouquíssimas roupas e Pamela Anderson. Essa é a fórmula do sucesso de Baywatch. Série que mostrava o dia a dia dos salva-vidas.

10° Lugar - Melrose Place
Confusões entre adolescentes é muito comum nos seriados americanos, agora entre adultos é muito mais comum ainda. A série Melrose trouxe uma dose um tanto inesperada para mostrar as intrigas que a ganância pode trazer. Em 2009 ganhou uma nova versão.

9° Lugar - Blossom
Todas as tardes, Blossom alegrava a tarde de várias famílias no SBT. Na história a vida comum e engraçada da adolescente Blossom e de sua família.

8° Lugar - Bervely Hills, 90210
Barrados no Baile surgiu na década de 90 dando uma renovada no formato das séries dos anos 80. A série mostrava os problemas adultos dos adolescentes de Bervely Hills. Recentemente a série ganhou uma nova versão, exibida pela Warner.

7° Lugar - ER
A série ER propôs mostrar o dia a dia dos médicos em um pronto-socorro. Série que trouxe para os holofotes ninguém menos que George Clooney.

6° Lugar - The Fresh Prince of Bel-Air
A série que no EUA disputava a audiência com Blossom fez mais sucesso e trouxe ao estrelado Will Smith. A série mostrava o adolescente Will indo morar na casa dos seus tios.

5° Lugar - Buffy the Vampire Slayer
Iniciou-se com um filme e depois com essa série com 7 temporadas. Buffy foi tão importante para o mercado pop que virou quadrinhos. Uma das HQs mais bem criticadas, diga-se de passagem.

4° Lugar - Friends
Uma das poucas séries que conseguiu manter o ritmo e o sucesso durante 10 anos de duração. Os atores protagonistas chegaram a ganhar 1 milhão de dólares por episódio gravado.

3° Lugar - Twin Peaks
Quem matou Sarah Palmer?Uma das séries mais intrigantes, mostrava o dia a dia da investigação do assassinato em Twin Peaks.

2° Lugar - Seinfeld
A série de comédia que mais influenciou o gênero não estava na lista antes, pois o objetivo era lança-la na lista dos anos 2000.


1° Lugar - X-Files
A série mais clássica de todos os tempos, mostrava desde casos paranormais até invasões alienígenas.

Fonte:http://conquistadofuturo.blogspot.com

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Design



São as técnicas usadas na criação e no desenvolvimento de projetos gráficos e de comunicação visual e na concepção artística de peças e objetos.

Curso
O currículo do bacharelado é generalista e possui disciplinas que transitam tanto na área gráfica como na de produto. Assim, o aluno estuda desenho técnico, informática, ergonomia, protótipos, ilustração, modelagem 3D, fotografia, marketing e design, estética, processos gráficos e design gráfico. Alguns cursos possuem direcionamento para uma área, que pode ser design de produto ou design gráfico. Nesse caso, as disciplinas mudam de acordo com a ênfase. Em design gráfico, por exemplo, estudam-se tipografia, computação gráfica, fotografia, identidade visual, entre outras disciplinas. Já em design de produto, o curso possui matérias como projeto de produto, embalagens, materiais industriais, modelagem 3D etc.
Duração média: quatro anos.

Mercado de Trabalho

O mercado está aquecido tanto para os bacharéis como para os tecnólogos. "Nos últimos anos tivemos a entrada de muitos artigos chineses no Brasil. Com isso, as empresas nacionais precisaram inovar os seus produtos, oferecendo um design diferente daquilo que já existia", diz Bruno Manoel Neves, coordenador do curso tecnológico em Design de Produto do IF-SC, de Florianópolis. O mesmo acontece com as grandes e médias empresas que procuram o trabalho do designer gráfico para criar logomarcas e embalagens ou reformar o desenho de logomarcas já em uso. Seja nas grandes indústrias, seja nas empresas familiares, a necessidade de inovação do mercado tornou o designer uma peça-chave nas empresas, o que faz aumentar a procura pelo profissional. Além disso, essa profissão permite atuação em áreas muito diversas, desde criação de embalagens até design de móveis, joias, calçados, moda, utensílios, entre outros, o que facilita a entrada do profissional no mercado de trabalho. Departamentos de marketing e criação de grandes empresas, editoras e escritórios de design são os maiores empregadores do profissional. Na área gráfica, a demanda também é muito boa, já que o país tem cerca de 20 mil gráficas. "A maior procura está na área de gerenciamento da produção, gestão da qualidade, controle de processos e de custos e orçamentos", diz José Pires de Araújo Júnior, coordenador de estágios e professor do curso tecnológico em Produção Gráfica da Faculdade Senai de Tecnologia Gráfica, de São Paulo. O profissional é bastante requisitado no Sudeste, que tem um importante parque gráfico e conta com grande número de multinacionais dos ramos alimentício e têxtil. Na capital paulista, também estão os principais escritórios de design do país. Na Região Sul, os postos de trabalho se expandem a cada ano, por causa do grande parque gráfico e do desenvolvimento do setor industrial, principalmente nos setores têxteis, de calçados e utilidades domésticas.

Salário inicial: R$ 2.000,00 (fonte: prof. Bruno Manoel Neves, do IF-SC).
Fonte: texto resumido de guiadoestudante.abril.com.br

terça-feira, 16 de outubro de 2012

30 anos do Compact Disc - CD



O Compact Disc (CD) mudou a forma como ouvíamos música na década de 80. O primeiro CD Player a chegar ao mercado foi o CDP-101, da Sony. Ele foi lançado em 1 de outubro de 1982 no Japão e seis meses depois nos Estados Unidos.
Custando cerca de US$ 1.000 na época, ele era bem caro e estava disponível em quantidade limitada.
O CD foi desenvolvido de forma conjunta pela Philips e pela Sony e nasceu como uma evolução do formato de vídeo analógico LaserDisc, que foi introduzido em 1978. Os protótipos dos primeiros players foram desenvolvidos pela Philips e pela Sony de forma independente na segunda metade da década de 70.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

O ato fotográfico - Philippe Dubois



Sinopse
Este livro apresenta que a foto não é apenas uma imagem, é também, antes, um verdadeiro ato icônico, uma imagem, se quisermos, mas em trabalho, algo que não é possível conceber fora de suas circunstâncias, do jogo que a anima. O meio mecânico, óptico-químico, pretensamente objetivo implica ontologicamente a questão do sujeito em processo.

A foto não é apenas uma imagem (o produto de uma técnica e de uma ação, uma figura de papel em sua clausura de objeto finito), é também um ato icônico, uma imagem, se quisermos, mas em trabalho, algo que não é possível conceber fora de suas circunstâncias. A foto é uma imagem-ato que não se limita apenas ao gesto da produção (o gesto da tomada), mas que inclui o ato de sua recepção (sua contemplação). Vê-se por aí o quanto esse meio mecânico implica a questão do sujeito, especialmente do sujeito em processo.
Comentários
Apesar da sinopse um pouco confusa o livro é excelente, pois analisa o ato de fotografar profundamente, nos seus aspectos históricos e filosóficos. Toma como base de linha de pensamento o conceito de imagem de Charles Pierce. Ele explana suas idéias de maneira muito eloquente e esclarecedora. É um livro de leitura difícil, é indicado para leitores avançados acerca do tema, porém é obrigatório para todos que trabalham com imagens, sejam elas fotográficas ou não.

domingo, 14 de outubro de 2012

Poema

Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

Oscar Wilde